Os heróis em 2016

   O ano tá acabando, esse 2016 interminável e quase intragável, onde inúmeras tragédias aconteceram, a guerra ficando cada vez mais descontrolada, sem falar na zona política que nosso país ainda se encontra. Foi um ano duro, mas pelo menos tivemos os filmes de heróis, pra nos dividir na internet, e brigarmos nos comentários.
   

  A guerra Marvel e Dc nunca esteve mais forte, com a última editora finalmente entrando no páreo de universo nos cinemas, dividindo ainda mais as opiniões. Foi um ano recheado de filmes, e até a Fox fez algo que presta.  E aqui vai meu resumo do que achei de cada filme, e sim, aqui no CronicaEx, minha opinião é definitiva e absoluta, muhahahahaha!


   O ano começou com Deadpool, uma aposta da Fox de baixo orçamento e classificação mais 16, recheado de piadas ofensivas e cenas de violência gratuita. O filme tinha a missão de apagar o passado sujo do Ryan Reynolds,  depois de dois papéis sofríveis, e trazer a insanidade do personagem
(que é o homem aranha com armas) para o cinema.
  O filme foi muito divertido, com toda a escrotice do personagem muito bem adaptada, e as brilhantes cenas de quebra de quarta parede. Piadas sobre o estúdio, sobre feminismo, sobre quebra de quarta parede, foi uma chuva de humor sujo e sangrento. Cenas de violência na medida que eu esperava, não se segurou em mostrar cabeças voando e coisas do tipo.
  O que não me agradou foi a origem ter sido contada, queria mais do Deadpool já pronto, mas ai é mais implicância minha mesmo. O filme é curto, baixo orçamento, nada grandioso. Não é o melhor filme de herói de todos os tempos, como muitos exagerados saíram por ai gritando, mas ao menos fez a Fox querer fazer um filme do Wolverine com violência.
 Ao Deadpool, daria uma honesta nota de 7,5, e Ryan Reynolds está redimido de seu passado vergonhoso.

  O ano seguiu com o grandioso, espetacular e titânico Batman V Superman. Eita, até hoje os nerds brigam por causa desse filme. Zack Snyder na direção daquele que viria a estabelecer a Dc no cinema, que de acordo com o diretor, mudaria os paradigmas dos filmes de heróis.

  O embate entre dia e noite, dos dois maiores heróis da editora criou grandes expectativas, e foi trucidado pela crítica. Seu faturamento também não atingiu o esperado pelos gananciosos chefões da Warner, e acabou trazendo mudanças na direção desse universo de filmes que ainda está por vir.
  Visualmente o filme é perfeito. As cenas de ação estão acima da média, principalmente nas coreografias do Batman. Apesar do vilão final ser um pouco pobre de aparência, a luta no final é empolgante, e ainda não conseguiram encontrar todos os Ester Eggs que o filme possui. Sério, tem cena que é o quadrinho transposto.
   Mas é no roteiro que o filme se complica. Não gostei do Lex Luthor e seus chiliques, me deu foi raiva. Seu plano também é uma confusão  que quase não faz sentido, e muitas cenas importantes do filme ficaram de fora da versão do cinema, sendo lançada depois em uma versão estendida.
  O Batman do Ben Affleck não é ruim, embora esteja um pouco surtado demais pra um primeiro filme (o que pode ser por conta dos anos de serviço prestado), mas já o Superman... Henry Cavill não
tem carisma nenhum, e sua morte passa tão batido que chega a ser um desperdício.


 Já a mulher Maravilha... Gal Gadot rouba a cena, e nos mostra o quanto sua personagem será a fodona desse universo. Mesmo com o Momoa por perto!
 É claro, rendeu o eterno meme, salve a Martha!
  Não mudou os paradigmas... Galera, Snyder não é um deus, como vocês estão dizendo por ai. Muito pelo contrário, ele tem potencial de acabar com a Dc nos cinemas. Acham que a crítica não importa? Se enganam! Se a Liga for como BvS em desempenho... esse universo terá sérios problemas...
 Batman V Superman pra mim, fica com um merecido 8.


  Capitão América – Guerra Civil, a Marvel nos trazendo mais um filme de sucesso. Agora o Homem Aranha faz parte do universo, e toda a nerdaiada está feliz e saltitante. O filme que iria trazer o cisma 
entre os heróis encontrou resistência entre os mais exigentes pelo motivo que o confronto acontece: a amizade entre Buck e Steve.
  A melhor cena do ano é, sem dúvidas, a briga no aeroporto. Todos os heróis tiveram seu momento, e o Homem Formiga roubou a cena. A melhor sequência de porradaria entre super heróis.
 Tony Stark e Steve Rogers estão muito bem no filme, e cada um nos passa suas motivações muito bem, e passaram uma carga dramática pro filme numa quantidade certa.
   O vilão é, mais uma vez, esquecível. E a Guerra civil, é claro, tá mais pra uma briga, já que não só menos personagens estão presente, como também as consequências são menores. Nada que houve ali é irreversível, e mesmo que o filme tenha terminado com resultados negativos, como Vingadores divididos, alguns heróis criminalizados... o tom do final acaba dando uma impressão diferente. O tom da Marvel, que nunca pode ficar denso demais, talvez tenha prejudicado o final.
   Mas o Pantera Negra também rouba a cena, com coreografias de luta fantástica, e um desejo de vingança incontrolável. Nem adianta tentar segurar o cara!
 Guerra Civil, leva pra casa um belo 9. Filme de Herói do ano pra mim. Longe de ser perfeito, mas tem muito herói caindo na porrada.

 

 X-men Apocalipse... não vi. E pelo que li a respeito, e os podcasts que escutei sobre, o filme foi fraco e irrelevante. Trazendo um dos vilões de maior peso nas hqs dos mutantes, Apocalipse prometia trazer questionamentos e dualidades na divisão entre a comunidade mutante. O primeiro de sua raça, tido por muitos povos como uma divindade, tinha tudo pra dar certo.
  Mas a Fox já havia acertado esse ano, então aparentemente o resultado foi muito abaixo do esperado. Não vi, então não vou ficar falando muito.


  Esquadrão Suicida. E a Dc causando ainda mais controvérsia... o filme traria uma equipe de vilões que é obrigado a realizar alguma missão secreta para o governo americano. O segundo filme do universo da Dc, nunca entenderei o porquê fazer sobre um grupo de vilões, mas tudo bem...
  O filme criou muito hype, prometendo ser denso e engraçado ao mesmo tempo. Os fãs da Marvel acusaram de ser uma tentativa de imitar os Guardiões da Galáxia, mas a coisa ficou desenfreada mesmo com o novo Coringa, interpretado por Jared Leto.
Jared Leto enviou rato morto pra Margot Robbie para interpretar o Coringa! Jared Leto enviou caixa de munição a Will Smith para interpretar o Coringa! E pronto, eu já tava com birra contra o filme.
  Acabou que o Coringa é irrelevante para o filme, e no meu ponto de vista, acabou não sendo um personagem a altura do vilão. O filme tentou florear o relacionamento entre ele e Arlequina, o que pra mim não ficou legal.
  A trama também é um tanto furada, já que a ideia de criar o esquadrão, o argumento de Amanda Waller, é o de ser necessário estar pronto, caso o próximo superser que surja seja maligno..., mas o grupo não tem poder suficiente pra lidar com um superser.…E pra piorar, o grande problema do filme só surge por conta da Amanda waller estar montando um grupo.
  O filme ainda teve umas forçadas no final, com El Diablo gritando que não quer perder outra família... ah, mas como isso me deixa louco!!! O vínculo entre eles não foi trabalhado ao ponto de se considerarem família!
Enfim, um filme repleto de coisas irritantes e ruins, causou mais mal ao universo Dc, que parece ainda mais perdido agora. Esquadrão Suicida recebe 4,5, se pudesse eu deveria.


   
E pra fechar o ano, Doutor Estranho, da Marvel. O filme que introduz a magia no universo cinematográfico da Marvel, e também conta as origens do Mago Supremo. Efeitos muito bons, e um ótimo conceito de multiverso, cada um sendo bem característico e distinto do outro.
   Strange vivido por Benedict Cumberbatch ficou perfeito, uma ótima escolha de elenco. Mas o filme, como todos os demais filmes solo da Marvel, não tem peso algum. É só mais um filme Marvel, e agora, depois de 14 filmes, essa fórmula já me cansou.
  Talvez seja hora do estúdio arriscar um pouco, e parar de entregar mais do mesmo. O filme é divertido, mas seu impacto não deve durar nem três horas direito. Tanto que muita gente o comparou ao primeiro homem de ferro...
  Doutor Estranho, ficando na média, recebe um 7, e tá de bom tamanho.


  Foi um ano bom? Difícil dizer, pode ser o começo daquela curva entre a adoração e a saturação entre o público. Os filmes de herói crescem em quantidade, e a cada filme lançado, minha empolgação meio que diminui. Certeza que os filmes da Liga e dos Vingadores serão épicos, mas entre eles tem tanto filme solo, que precisa acontecer uma inovação nessa fórmula, pra não cansar o público de vez.
Os heróis em 2016 Os heróis em 2016 Reviewed by Jyuuken Cronicaex on 18:03:00 Rating: 5

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.