Blogroll

Twd - O Início

Recentemente fiquei viciado em The Walking Dead, a hq não a série. Sou daqueles que só assistiu até a fazenda, e abandonou aquela lerdeza. Não saberia explicar o motivo que me levou a começar a ler a hq, mas ela me viciou e me prendeu de tal forma que não consegui parar, não até concluir os mais de 160 volumes lançados.

E eu gostei muito! A hq é muito frenética, cheia de surpresas e reviravoltas, que te deixam preso de quadro a quadro, se perguntando como esse absurdo de situação irá se resolver dessa vez.
Por isso decidi fazer uma série de posts, dividido pelos arcos da hq, comentando e dando impressões sobre os pontos que mais marcaram durante a jornada pelo mundo moribundo de The Walking Dead. Então vamos lá, e cuidado com os Spoilers!
A história começa com Rick acordando em um leito de hospital, após um coma. O azarado nem sequer faz ideia do que está acontecendo, e vai ficando cada vez mais desesperado enquanto vaga pelos corredores do hospital, tomado pelos mortos.


Durante seu coma a epidemia começou. E tomou conta do mundo, ou seja, Rick dormiu durante toda a “ação inicial” do surto. Seu pensamento é sempre voltado para sua família, Carl e Lori, desde o começo essa é sua preocupação primordial. Então ele corre para sua casa, e a encontra vazia e saqueada. É aí que ele encontra Morgan, que então o explica em que diabos de loucura o mundo se meteu.
Rick acredita que Lori conseguiu fugir, e como as últimas notícias de autoridades que Morgan diz terem sido feitas ordenava que todos fossem para cidades grandes, Rick decide procurar por Lori.
Por uma sorte imensa, ao entrar em Atlanta tomada por zumbis, Rick acaba sendo encontrado por Glen, que está no mesmo grupo que Lori, e então milagrosamente Rick reencontra sua família. E encontra também Shane. Seu amigo policial, que havia fugido junto com Lori e Carl, e agora liderava um pequeno grupo nas imediações da cidade, na esperança de serem resgatados.
Nos primeiros capítulos, a esperança de que o governo recupere o controle da situação ainda é
muito real. Os sobreviventes ainda não possuem uma “ideia global” de como a situação cimentou nossa sociedade, ainda esperam serem resgatados, e por isso Shane não quer se afastar do local onde estão. Mas vai ficando cada vez mais evidente que ali não é seguro. E não demora para que Rick e Shane tenham um choque de ideias.


Shane que até então vinha vivendo um romance desesperador com Lori, que acreditava que havia perdido seu marido para sempre. Com o retorno de Rick, ela decide afastar Shane de si e de seu filho, o que abala muito o ex-policial. E alguns do grupo começam a concordar com Rick sobre sair dali, minando a liderança até então absoluta que Shane mantivera.
O mundo acabou. Todos morreram. E no desespero, Shane conseguiu o amor da mulher com quem sempre sonhara, um filho que nunca tivera, e um grupo que precisava dele, precisava de sua liderança. E de repente, tudo isso se perde, melhor ainda, lhe é tirado, arrancado por alguém que deveria estar morto! Na cabeça devastada de Shane, a solução para tudo isso é simples: matar Rick!
E é o que ele tenta, não fosse Carl, que acerta um tiro em seu pescoço (o imenso contador do garoto começa cedo!), Shane acaba morrendo, sucumbindo à loucura, deixando a Rick duas coisas: a missão de agora cuidar daquele grupo, e o recado de que a loucura pode tomar conta de qualquer um, e transformar amigos em monstros insanos.


Sob o túmulo do amigo, Rick e o grupo partem, em busca de algum lugar seguro, algum lugar que os permita recomeçarem suas vidas. E encontram um condomínio, aparentemente vazio. O lugar parece livre da pestilência que devastou as grandes cidades, e por ser um tanto mais isolado, faz até sentido que esteja vazio.
O grupo, cheios de esperança, se alojam nas casas, para passarem a noite. Mas nenhum deles viu que lá fora, coberta de neve, havia uma placa dizendo “Mortos aí dentro”

O começo passa relativamente rápido, e me causou até uma estranheza, pois as coisas se resolvem muito rápido. Foram várias as situações em que Rick se meteu que se resolveram no mesmo capítulo. Era como se a hq não quisesse perder muito tempo por aqui.
Surgem também vários personagens, mas ainda é muito cedo para gostar deles, afinal não sabemos quais irão morrer, e quais irão se tornar grandes lendas (certo Andrea?), entretanto as mortes acontecem a todo tempo, já desde o começo. Amy, irmã de Andera foi mordida bem no pescoço, e a loira segura sua irmã, que perde seus últimos suspiros de vida em seus braços, só para instantes depois retornar, como um agourento comedor de carne.

O mundo de Twd é agressivo e cruel, e a jornada está apenas começando. O sangue e as lágrimas apenas começaram a escorrer.


Twd - O Início Twd - O Início Reviewed by Jyuuken Cronicaex on 14:46:00 Rating: 5

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.